Visitando a Borgonha em 3 dias

Atualizado: 31 de Jul de 2019


Quem visita a Borgonha geralmente faz uma viagem bem específica: Rota dos Grandes Vinhos Franceses, a Route des Grandes Crus.


Mas como a região é muito rica em história, natureza, gastronomia, grandes hotéis e é claro vinhos, a sua viagem pode ser de no mínimo 3 dias até um mês! Mas vamos começar em como aproveitar a região em 3 dias.


Dia 1 – Dijon

Conheça a cidade fazendo a Rota da Coruja.

Compre o mapa no escritório de turismo, Office de Tourisme, no centro da cidade por  3,50€ ou baixe o aplicativo Le Parcours de la Chouette pelo celular por €2.99 e siga as flechas douradas pelas ruas.


Dica: comprar o mapa é melhor do que baixar a sua versão no celular porque tem mais opções de línguas. São 10 inclusive o português e você deixa a bateria do celular para tirar fotos.


Essa Rota da Coruja faz um ótimo apanhado da cidade de Dijon de uma forma bem divertida e leve. Ótimo para todas as idades! Você consegue aprender a história, visitar monumentos e museus como o Museu de Belas Artes (Musée de Beaux Arts) e ainda pode parar nas deliciosas lojas de produtos locais, como as lojas de mostardas Edmond Fallot e Maille, na Mulot Petitjean que produz desde 1796 os famosos bolos de especiarias ou ir nas lojas do licor de cassis ou ainda dar uma passadinha nas grandes lojas de departamento como a Galerie Lafayette e Sephora.


Durante o passeio que pode levar 1 hora ou o dia todo, você pode aproveitar e matar a sede com uma bela taça de vinhos num bar de vinhos, bar à vins. Afinal você estará na Borgonha.


Se der meio-dia e bater aquela fome é fácil achar um restaurante para almoçar, pagando um preço justo por uma comida bem gostosa e tradicional. Nas ruas ao redor do Mercado de Dijon (que você achará pela rota da coruja) há vários restaurantes bons que ficam abertos do meio dia até as 14h. Ou outra boa opção é a Rue Musette que fica em frente à Catedral de Notre Dame. Todos esses restaurantes são lugares que os franceses frequentam, então você terá uma experiência como um local.


Dica: o horário de almoço é rígido, 12h até 14h, então programe-se.


E se você quiser comer um docinho depois de almoçar ou um lanchinho da tarde, vá em alguma das belas docerias de Dijon. A minha predileta é a Carbillet, que fica pertinho do carrossel no endereço 58 rue des Forges. Lá tudo é ótimo e tem algumas mesinhas onde você pode comer seu bolo com uma bela xícara de café.


Um dia em Dijon é o suficiente para conhecer o básico e se encantar com os prédios e algumas construções medievais em harmonia com os bondes e mini circulares que transitam pelas ruas. Aliás, o charme de passear em Dijon é a mistura de cidade grande com cidade pequena e aqui muitas ruas são fechadas para os carros. Ou seja, um paraíso para os pedestres!


Jantar: se você quiser jantar em alto estilo, invista nos restaurantes Le Chapeau Rouge, com duas estrelas Michelin e o Loiseau des Ducs, uma estrela Michelin e que pertence ao famoso grupo Bernard Loiseau. Ambos necessitam de reservas.



Dijon – foto @burgundysroots


Dia 2 : Clos Vougeot, Vosne-Romanée, Romanée Conti, Nuits Saint Georges

O dia 2 é dedicado a Rota dos Grandes Vinhos.


Começando pelo castelo Château Clos de Vougeot que é considerado o lugar onde nasceu a Borgonha. Esse castelo foi construído a partir do século XII pelos monges da Abadia de Citeaux que aprimoraram o processo de vinificação – para a nossa alegria! – para chegar no conceito que conhecemos hoje.


Hoje esse castelo pertence a Confraria dos Cavaleiros de Tastevin (Confrérie des Chevaliers du Tastevin), que em resumo é um grande grupo de pessoas que são amantes de vinhos e que tenham ajudado a Borgonha e seus vinhos de alguma forma significativa. Hoje essa Confraria existe em vários países com, mas a sede é aqui. O espaço abriga um museu com uma sala de cinema onde passa um filme, de no máximo 15 minutos, que explica a sua história. O Clos Vougeot é também um espaço para os eventos da confraria, eventos em geral e casamentos. Imagina fazer recepção do seu casamento no lugar onde nasceu a Borgonha!


Seguindo pela estrada nacional D974, entrando pelas pequenas vilas para apreciar a paisagem, chegamos à cidade de Vosne-Romanée. Lá encontramos vários domaines(vinícolas) mais famosos do mundo. Basta somente andar pela pequena cidade para se encantar. Tire fotos dos portões das vinícolas que às vezes são luxuosos e às vezes mais discretos. Alguns são tão simples que até passam despercebidos, como o famoso Romanée Conti (DRC).


Vale a pena fazer uma pequena caminhada nas ruas de terra que levam aos vinhedos, apreciar a paisagem e prestar reverência em frente a pedra que marca o vinhedo do célebre Domaine Romanée Conti, que produz os vinhos tintos mais famosos e cobiçados do mundo. Lá podemos admirar a bela paisagem, tirar fotos, refletir sobre a vida, mas sempre respeitando o local e não ultrapassando o pequeno muro (clos) que circunda as vinhas. E logicamente ninguém pode comer as uvas. Olha lá hein pessoal!



Seguindo pela mesma estrada da Route des Grandes Crus a D974, chegamos na meca dos vinhos, a pequena e famosa Nuits Saint Georges. Lá há boas opções de restaurantes borgonheses para almoçar, como o Café du Centre no centro da cidade.




E logo após o almoço nada melhor do que fazer degustações em algumas das inúmeras caves/adegas da cidade. Uma delas é o Domaine Pascal Marchand-Tawse, onde um dos simpáticos funcionários te receberá e explicará todo o processo de vinificação que eles praticam, mostrará as adegas, os vinhos em barris e no final vai apresentar os vinhos a serem degustados.


Outros dois passeios para serem feitos em Nuits Saint Georges é ao Imaginarium e ao Cassissium, que ficam 500m de distância um do outro.


O Imaginarium é um grande centro de oenoturismo que pertence ao grupo Boisset, o maior grupo exportador de vinhos da Borgonha. Ele é totalmente pensado para receber o turista e o imergir dentro da cultura do vinho. O projeto foi de duas empresas acostumadas a realizar projetos em parques temáticos e por isso o passeio é leve, cheio luzes , bonecos e animações (realmente lembra alguns dos brinquedos da Disney). O fim do passeio termina com uma degustação, previamente escolhida na entrada, de alguns vinhos da Borgonha.


O Cassissium segue a mesma linha que o Imaginarium, contudo pertence ao grupo Védrenne, e é um espaço mais simples. Conta o processo de transformar a fruta cassis no famoso creme/licor de cassis. O local é bem lúdico e ótimo para as crianças e adultos. A visita também termina com uma grande e farta degustação de vários tipos de licores e xaropes, como a groselha Milano, para as crianças.


Dia 3: Beaune

Beaune é uma cidade linda! Merece ser visitada. E de preferência num sábado para aproveitar a feira de rua. Nela além dos  produtos de uma feira normal encontramos objetos de antiguidade, muitos queijos, presuntos, salames, especialidades locais e dependendo da época há belas trufas a serem vendidas.


Beaune é também o local do museu do vinho, da fábrica de mostarda Edmond Faillot e do famoso e lindo museu Hôtel-Dieu do Hospices de Beaune, com o seu telhado colorido que inovou e ditou moda e ainda fez desse telhado a marca registrada da Borgonha.

Cada um desses lugares vale a pena a visita e vão preencher o seu dia. E em frente ao Hospices de Beaune há uma pequena entrada de uma loja, que de pequena não tem nada. Ela se chama o Atheneaum e é a maior livraria da França especializada em literatura de vinhos. Ela ainda possui uma boutique de vinhos – ótima por sinal – uma grande área de livros de gastronomia, literatura em geral, guias de viagem, ala infantil, – é um sonho – artigos para decoração da casa e utensílios relacionados ao mundo do vinho. E é um lugar ideal para comprar lembrancinhas da Borgonha. Ou seja, vale a visita!


Ainda pelo centro há muitas lojas de vinhos com uma boa variedade, lojas, cafés e brasseries para passar o tempo com uma bela taça de vinho! O comércio em Beaune é mais caro, eu não vou mentir e alguns preços são equiparáveis a Paris. Mas vale visita de no mínimo 1 dia inteiro.



Espero que vocês aproveitem as dicas desse roteiro de 3 dias na Borgonha. A região é grande e muito rica em gastronomia, paisagens, história e acima de tudo o vinho. Então se vocês tiverem mais tempo disponível reservem uma semana! E lembrem-se de me avisar quando chegarem, eu terei o maior prazer de tomar uma taça de vinho com vocês!


Santé,


Ju!

Contato:

Whatsapp: +33 7 70 01 63 42

email: juliana@vempraborgonha.com.br

Instagram: @vempraborgonha

Sede:

Beaune  - Borgonha - França

Todos os direitos reservados

Photos by Juliana Lins Cruz /Rozenn Krebel

Siga:

  • LinkedIn ícone social
  • Instagram
  • YouTube ícone social
  • Pinterest

© 2018 Vem Pra Borgonha - Proudly made by SoulToSoul